top of page

Doação de sangue: saiba como participar

Por: Allana Kathleen Santos Silva e Rebeca Caroline dos Vales da Silva


HEMOTERAPIA E SAÚDE


A hemoterapia é uma especialidade da medicina que atua de forma interdisciplinar, reunindo médicos, enfermeiros, bioquímicos e assistentes sociais entre outros profissionais da área da saúde. Através da hemoterapia é realizado o tratamento de doenças pela administração de sangue e/ou hemoderivados.

A doação de sangue é um processo pelo qual um doador tem seu sangue coletado para armazenamento em um banco de sangue ou hemocentro para um uso subsequente em uma transfusão de sangue. É um gesto solidário e voluntario, a fim de ajudar outras pessoas e pode ser fundamental para salvar vidas.

Várias são as situações em que uma pessoa necessita de sangue. Entre as situações mais conhecidas, podemos citar as cirurgias de grande porte, transfusão para pacientes com doenças crônicas, como a doença falciforme e após acidentes graves.

O estoque de sangue da Hemoba está abaixo do nível de segurança desejável, apesar do número de candidatos à doação permanecer estável por causa das ações de captação, como palestras informativas, realização de coletas externas, parceria com grupos e caravanas de doadores, organização e divulgação de campanhas. Neste ano, já foram realizadas campanhas para o verão, Carnaval , o Mês da Mulher, período junino.



TIPOS DE DOAÇÕES


Doação Voluntária ou Espontânea: É feita por pessoas com objetivo de manter o estoque de sangue do Hemocentro. O doador não apresenta nome do paciente.


Doação de Reposição: É a doação para um determinado paciente que já recebeu ou deverá receber a transfusão. É preciso informar no momento do cadastro, na recepção, o nome do paciente e do Hospital onde ela está ou será internado.


Doação Autóloga (auto doação): Realizada pelo paciente para o seu próprio uso. Esses casos devem ter indicação médica



TIPOS SANGUINEOS E SUAS CLASSIFICAÇÕES:

Os tipos de sangue são classificados de acordo com a presença ou ausência de aglutinogênio (antígeno) presentes na superfície das hemácias, ou de aglutininas, também chamadas de anticorpos. Cada pessoa possui determinado grupo de compatibilidade.


Imagem: https://brasilescola.uol.com.br/biologia/sistema-abo.htm



Etapas da Doação

1- Cadastro

2- Pré Triagem: Verificação de sinais vitais, peso, altura, teste de anemia.

3- Triagem clínica: Entrevista clínica com Enfermeiro ou Médico.

4- Coleta: Onde se concretiza a doação de sangue (450ml).

5- Voto de autoexclusão: O doador tem a chance de descartar seu sangue neste momento.

6- Lanche: Alimentos são oferecidos para consumo do doador.



Orientação

  • O material utilizado na coleta é estéril e descartável. Não existe risco nenhum de contrair doenças infecciosas na doação.

  • Serão realizados exames para Hepatite B e C, Sífilis, Doença de Chagas, HIV, HTLV I e II, Tipagem sanguínea e fator RH, pesquisa de anticorpos irregulares.

  • Existem doenças que podem ser transmitidas pelo sangue a quem for recebê-lo, para os quais não são feitos exames. Por isso, comunique qualquer tipo de doença.

  • Você tem o direito de desistir da doação caso não se sinta seguro e não deve doar se considerar que seu sangue oferece algum risco para quem for recebê-lo.


Requisitos básicos para doação:

Imagem:https://mundoeducacao.uol.com.br/saude-bem-estar/doacao-sangue.htm


Direitos do doador

Um dos benefícios mais conhecidos para quem tem o hábito de doar sangue é o direito à folga. Garantido pela Lei nº 1.075, de 27 de março de 1950, a norma diz que será dispensado do ponto, no dia da doação de sangue, o funcionário público civil, de autarquia ou militar, que comprovar a contribuição.



Referências

PEREIMA, R.; SUELLYM, R. et al. Doação de Sangue: solidariedade mecânica versus solidariedade orgânica. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 63, n. 2, mar./abr., 2001.

Junqueira PC. O essencial da transfusão de sangue. São Paulo: Andrei Editoras; 1979.

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page