top of page

Doação de Medula Óssea: uma nova chance.


Por Giulia Aragão


A doação de medula óssea é um ato de extrema importância que pode salvar vidas e oferecer esperança a pacientes com doenças graves do sangue, como leucemia, linfoma e anemia aplástica. Neste site, você encontrará informações sobre o processo de doação e seus benefícios.


O que é a medula óssea e por que ela é tão importante?

A medula óssea é um tecido gelatinoso encontrado no interior dos ossos, responsável pela produção das células sanguíneas essenciais para o funcionamento adequado do organismo. Quando uma pessoa é diagnosticada com uma doença que afeta a medula óssea, um transplante de medula pode ser a única opção de tratamento curativo.




Como fazer para se tornar doador?

Tornar-se um doador de medula óssea é um gesto nobre e altruísta. Para isso, você precisa se cadastrar em um registro de doadores, que é uma base de dados com informações genéticas de possíveis doadores. O primeiro passo é preencher um formulário de consentimento e fornecer uma pequena amostra de sangue ou realizar um teste de saliva para análise do seu perfil genético. Essas informações são usadas para identificar a compatibilidade entre o doador e o receptor em potencial.

A compatibilidade genética é um fator crucial para o sucesso do transplante de medula óssea. É necessário que haja semelhança entre os marcadores genéticos do doador e do receptor para minimizar as chances de rejeição do órgão transplantado. Por essa razão, é essencial que exista um grande número de doadores cadastrados nos registros, representando uma diversidade genética abrangente. Quanto mais doadores cadastrados, maiores são as chances de encontrar um doador compatível para pacientes em necessidade.

Quando há compatibilidade genética entre o doador e o paciente, você será chamado para realizar exames adicionais antes de confirmar a doação. Esses exames incluem avaliação clínica, exames de sangue e, em alguns casos, exames de imagem.


Como ocorre o processo de doação?

Quando há compatibilidade genética entre o doador e o paciente, você será chamado para realizar exames adicionais antes de confirmar a doação. Esses exames incluem avaliação clínica, exames de sangue e, em alguns casos, exames de imagem. É importante compreender que o processo de doação de medula óssea é seguro e realizado sob supervisão médica qualificada. Existem duas formas principais de doação: a doação por aférese e a doação por punção da bacia.


Doação por aférese

A doação por aférese é o método mais comum e envolve a coleta das células de medula óssea diretamente da corrente sanguínea do doador. Nesse procedimento, você receberá um medicamento para estimular a produção de células-troncodurante 5 dias anteriores a coleta. O sangue é retirado de uma veia do braço, passa por uma máquina de aférese que separa as células de medula óssea e retorna o restante do sangue ao doador. É um procedimento indolor e leva algumas horas para ser concluído.


Doação por punção

A doação por punção da bacia é menos comum e requer uma pequena cirurgia sob anestesia geral. Nesse caso, uma agulha é inserida em alguns ossos da pelve para coletar a medula óssea. Embora seja um procedimento um pouco mais invasivo, a recuperação é geralmente rápida e o desconforto é mínimo.


Após a doação, suas células de medula óssea serão transferidas para o paciente que precisa do transplante. Esse processo pode significar uma nova chance de vida para alguém que enfrenta uma doença grave. É importante ressaltar que a doação de medula óssea é um ato voluntário e não há qualquer remuneração envolvida. O valor desse gesto está na possibilidade de fazer a diferença na vida de outra pessoa.


Ao se tornar um candidato doador de medula óssea, você se junta a uma rede global de solidariedade e compaixão. Milhares de vidas já foram salvas graças à doação de medula óssea e você pode fazer parte dessa história de esperança.



Referências

Pereira, Noemi F. et al. Seleção de doador de medula óssea ou sangue periférico. Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia [online]. 2010, v. 32, suppl 1 [Acessado 3 Julho 2023], pp. 03-05. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S1516-84842010005000022>. Epub 02 Abr 2010. ISSN 1806-0870. https://doi.org/10.1590/S1516-84842010005000022.


Seber, Adriana et al. Indicações de transplante de células-tronco hematopoéticas em pediatria: consenso apresentado no I Encontro de Diretrizes Brasileiras em Transplante de Células-Tronco Hematopoéticas - Sociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea, Rio de Janeiro, 2009. Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia [online]. 2010, v. 32, n. 3 [Acessado 3 Julho 2023], pp. 225-239. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S1516-84842010005000083>. Epub 23 Jul 2010. ISSN 1806-0870. https://doi.org/10.1590/S1516-84842010005000083.


9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page